A Polícia Militar tem um suspeito preso porque um homem foi morto a pauladas e facadas na manha de sábado e deixado no lixão entre o bairro São Geraldo e Foch. A vítima, um pedreiro de 27 anos, seu nome: André Luiz Ferreira de Pinho. A polícia foi acionada por denúncia anônima. Ainda segundo a polícia, o suspeito teria se envolvido em uma briga com André alguns dias antes do assassinato. Ele foi identificado e é o principal suspeito. Ele foi levado à delegacia da Polícia Civil para prestar esclarecimentos mas apresentou um álibi que não colou. Segundo ainda informações da Polícia Civil, a vítima tinha envolvimento com o tráfico de drogas.

A suspeita do criminoso

O crime chegou ao conhecimento da polícia através de denúncias. O local desabitado, conhecido como Lixão do Altidouro, que fica entre os bairros São Geraldo e Foch. Ali foi encontrado um homem sem vida, numa poça de sangue. O corpo, identificado como sendo de um rapaz, identificado pela polícia: André Luiz Ferreira de Pinho, 27 anos, morador do Bairro Arvore Grande em Pouso Alegre/MG, apresentava vários ferimentos, feitos à faca, no tórax, no rosto e na cabeça.
Seguindo o rastro do provável assassino, a polícia militar chegou à residência do suspeito conhecido popularmente pele apelido de “Iguana”, Leandro Ferreira Júnior, 21 anos, ele recebeu os policiais em sua casa e foi logo apresentando um álibi para fugir da responsabilidade de ser apontado como autor. Segundo informações disse que estava na casa de sua namorada.
O álibi do jovem Leandro não colou, com várias passagens pela polícia por furtos e roubos denunciava seu passado histórico mesmo sendo de menor, acrecido por tráfico de drogas, fato delatado por sua própria mãe e por testemunhas que alegaram tê-lo visto em um bar, próximo do local do crime, por volta de duas da madrugada. Na casa do suspeito a polícia militar encontrou ainda vários indícios que podem colocar Leandro “Iguana” como suspeito principal no acontecimento deste crime! Ele foi levado para a Delegacia de Polícia onde se encontra a disposição da justiça.

Comentários

Publicidade