Novembro Azul é uma campanha de conscientização realizada por diversas entidades no mês de novembro dirigida à sociedade e, em especial, aos homens, para conscientização a respeito de doenças masculinas, com ênfase na prevenção e no diagnóstico precoce do câncer de próstata.

Apesar do apoio de várias entidades não governamentais, o movimento, em especial no seu aspecto relacionado ao câncer de próstata, é repudiado pelo Ministério da Saúde brasileira e pelo Instituto Nacional do Câncer (INCa), devido à ausência de indicações científicas para a realização do rastreio. Outras entidades que se colocam contra esta atividade são a Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC), o United States Preventive Services Task Force, o Canadian Task Force on Preventive Health Care e o United Kingdom National Screening Comittee.

O movimento surgiu na Austrália, em 2003, chamado Movember blue aproveitando as comemorações do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, realizado a 17 de novembro naquele país.

No Brasil, o Novembro Azul foi criado pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, com o objetivo de quebrar o preconceito masculino de ir ao médico e, quando necessário, fazer o exame de toque, e obteve ampla divulgação. Em 2014, o Instituto realizou 2.200 ações em todo o Brasil, com a iluminação de pontos turísticos (como Cristo Redentor, Congresso Nacional, Teatro Amazonas, Monumento às Bandeiras), adesão de celebridades (Zico, Emerson Fittipaldi, Rubens Barrichello), ativações em estádios de futebol, corridas de rua e autódromos, além de palestras informativas, intervenções em eventos populares e pedágios nas estradas.

Em vários países, o November é mais do que uma simples campanha de conscientização. Há reuniões entre os homens com o cultivo de bigodes (ao estilo Mario Bros), símbolo da campanha, onde são debatidos, além do câncer de próstata, outras doenças como o câncer nos bagos, depressão masculina, cultivo da saúde do homem, entre outros.

Em Pouso Alegre

A conscientização e prevenção contra o câncer de próstata são o mote para a campanha do ‘Novembro Azul’ também realizado na cidade. O mês mais uma vez está sendo lembrado para que todos possam se conscientizar da importância dos exames de prevenção, já que o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata é comemorado no dia 17 de novembro.

Em Pouso Alegre as atividades são realizadas pela Secretaria Municipal de Saúde. Durante o dia o público poderá aferir pressão, teste de glicemia capilar, orientações e conscientização sobre o câncer de próstata, teste rápido de sífilis e distribuição de laços azuis, tema da campanha. Geralmente acontecem na Praça Senador José Bento.

No ano passado uma palestra sobre o câncer de próstata e os sintomas, tratamento e formas de prevenção,foi ministrada pelo médico do trabalho e clínico geral, Dr. Luciano Jardim.

Durante todo o mês de novembro, homens acima de 50 anos e com casos da doença na família, devem procurar o Centro de Saúde Municipal mais próximo da residência para uma avaliação, tendo em mãos o Cartão Nacional do SUS, Cartão Municipal do SUS e a Carteira de Identidade. Também serão intensificadas as ações de saúde do homem, com palestras e agendamentos de exames e consultas. Quem ainda não possui o cartão Nacional e Municipal deve procurar o Centro de Saúde e apresentar os documentos pessoais e um comprovante de residência.

Sobre o câncer de próstata

A próstata é uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen. Ela é um órgão muito pequeno, tem a forma de maçã e se situa logo abaixo da bexiga e à frente do reto. A próstata envolve a porção inicial da uretra, tubo pelo qual a urina armazenada na bexiga é eliminada. A próstata produz parte do sêmen, líquido espesso que contém os espermatozoides, liberado durante o ato sexual.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens no Brasil e o sexto tipo mais comum no mundo. Este é o mais prevalente em homens, representando cerca de 10% do total de cânceres. Sua taxa de incidência é cerca de seis vezes maior nos países desenvolvidos em comparação aos países em desenvolvimento.

Mais do que qualquer outro tipo, é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. O aumento observado nas taxas de incidência no Brasil pode ser parcialmente justificado pela evolução dos métodos diagnósticos, pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e pelo aumento na expectativa de vida.

Alguns desses tumores podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte, além disso, a ausência de sintomas não garante que não há problemas, porém, se descoberta precocemente, a doença tem 90% de chance de cura.

 

Comentários

Publicidade