O Conversa de Boteco” terá como cenário o palco de bares, botecos, restaurantes, tradicional conversa de amigos, depois do expediente nas dependências de um boteco, será tema de bate papos de amigos descontraídos, falando sobre uma infinidade de assuntos, que passarão pela mesa de Zé Henrique e Doni Barbosa.

E terá toda semana uma personalidade do contexto local e nacional em áreas como: esporte, saúde, educação, cultura, política e segurança.

Além de entrevistado em destaque por sua área de atuação, participarão da conversa de boteco como convidados representantes da sociedade civil esportiva, de movimentos sociais, intelectuais, artistas, sindicalistas e estudantes. O programa “Conversa de Boteco” discutirá temas atuais de interesse público, com informações relevantes para população local e sul mineira.

Nesta edição da estreia, José Carlos do Nascimento, o nosso “Espoleta” será entrevistado marcando o pontapé inicial no programa que tem a direção de Neilo Machado, Anderson Campos e equipe JC. O novo programa da TVJCCONVERSA DE BOTECO – que vai ao ar neste sábado, promete que vai dar muito o que falar. Todos os sábados a partir das 14 horas você é nosso convidado para compor a quarta pessoa da mesa.

O ENTREVISTADO

O Nome é Espoleta – José Carlos do Nascimento é o primeiro entrevistado do programa de estreia “CONVERSA DE BOTECO” que iniciou sua carreira como jogador de futebol aos 10 anos de idade jogando pelo Cruzeirinho, em Pouso Alegre/MG, orientado pelo treinador Edson Pintos Soares (Corinho). Treinador dedicado que deixou saudades. Sua equipe sempre era a mais organizada, treinava regularmente, se concentrava na véspera da partida, disciplina era palavra de ordem onde não podia fumar, beber e tinham que dormir seus jogadores as 10:00 horas da noite, isto ocorria em 1970.

Espoleta teve uma base muito boa, muitas conquistas e mesmo com as derrotas, aprendeu a vencer. Seus pais sempre lhe deram a maior força; nunca se opuseram e também nunca foram de ficar pegando no seu pé, ou seja, ir até o campo assistir jogo e ficar cobrando; a maior preocupação deles era com o seu estudo. O carinho e dedicação deles para com José Carlos e suas irmãs era tudo. O amor dedicado por eles, deram sustentação para suas conquistas.

O Cruzeirinho deixou muitas saudades, amigos; outros times como o Penharol, Real, Corinthians também o ajudaram nesta caminhada.

Aos 15 anos jogava pelo time principal da cidade, o Pouso Alegre F.C. pelo Campeonato Amador.

Tentou jogar no Bangu (RJ), treinador Zósimo; depois foi o Guarani (SP), treinador Ladeira; mas foi no Santos F.C. que teve a sua maior chance. Foi levado pelo preparador físico e ex-atleta Tadeu que jogou no Pouso Alegre e indicado pelo amigo Paulo Borges, irmão do Grapete que jogou no Atlético Mineiro, campeão brasileiro de 1970.

As dificuldades foram imensas quando chegou ao Santos em 1976. Já tinha sido operado 3 vezes do joelho direito. Precisou andar de joelhos para que o médico Dr. Carlos Braga o aprovasse para entrar em campo.

Depois desse sufoco, cada dia que passava, tudo se tornava mais difícil, mas nunca abandonou os seus estudos.

Teve muito apoio e apesar das dificuldades no departamento amador, os diretores e todos da comissão sempre deram-lhe a maior força. José Carlos teve a felicidade de ser orientado por grandes atletas e ídolos que marcaram e deixaram saudades, como Olavo, Ramos Delgado, Pepe, Coutinho, Dé, Mengalvio; o sonho não acabou pois foi orientado pelo grande José Eli de Miranda – Zito, que junto com o treinador do profissional Chico Formiga lhe deram uma chance e acreditaram no seu futebol pois ele estava substituindo o tri-campeão mundial da Seleção Brasileira 1970, Clodoaldo Tavares Santana, seu maior ídolo em termos nacional.

Foram muitos jogos e um campeonato que marcou e impulsionou sua vida de atleta profissional pela conquista do título de Campeão Paulista em 1978. Foram denominados “Os Meninos da Vila” e assim ficaram conhecidos pelo atrevimento, mas elevaram o nome do Santos F. C. e ao mesmo tempo se sentiu honrado por ter vestido a camisa do time do seu coração.

Mesmo pertencendo ao Santos F. C, jogou também no Náutico (PE), Ferroviária (SP), São Bento (SP), Portuguesa Santista (SP), depois conseguiu o passe e foi jogar no Juventus (SP), E.C. São José (SP), Louletano (Portugal), Ituano (SP) e Tokyo Gás (Japão).

Desde 1976, quando chegou ao Santos F. C. e encerrando sua carreira no São Bento em 1992, todos esses anos foram de muita dedicação e amor ao trabalho e profissionalismo, buscando sempre o melhor, mas sabendo das suas limitações, convivendo com vitórias e derrotas, sempre acreditando em DEUS, esta força maior que o impulsiona e faz acontecer.

Apresentado pelo Jornalista e Radialista, José Henrique e Donizete Barbosa a atração será semanal e terá a proposta de mostrar de maneira dinâmica e descontraída diferentes pontos de vista dos assuntos escolhidos pela direção do programa. Todos os primeiros programas da primeira temporada serão debatidos temas ligados ao esporte local e comportamento destes sejam atuando, contando suas histórias, e lembrando nomes de figuras importantes no crescimento esportivo de Pouso Alegre. Os entrevistados, falam de modo peculiar sobre sua vida, paixões e vocações profissionais, vitórias e decepções. Vez ou outra, alfinetados pelos apresentadores propositalmente.

O programa de hoje estreia abordando um pouso-alegrense que fez carreira no Santos F.C. muito querido em Pouso Alegre e que tem se destacado na diretoria do Pouso Alegre Futebol Clube. Espoleta esse é o nome! Em 1985 formou se treinador onde foi campeão três vezes no Japão pelo FC Tokio. Foi secretário municipal no governo Perugini. Atualmente faz parte da diretoria do Pouso Alegre Futebol Clube e é treinador do sub 20 que também estreia este ano. Por tudo que representa para Pouso Alegre, pela sua história de vida, José Carlos do Nascimento é o primeiro entrevistado do “Conversa de Boteco”.

Apresentação: José Henrique & Donizete Barbosa
Direção: Neilo Machado – Produção e Imagens: Anderson Campos – Gravado nos estúdios da TVJC

Comentários

Publicidade