O exame de necrópsia realizado no IML – Instituto Médico Legal em Pouso Alegre apontou que tanto o homem como a mulher encontrados embaixo de uma ponte onde moravam à cerca de um mês foram queimados ainda com vida.

O IML também concluiu que há forte indício de que a mulher tenha sido violentada sexualmente antes de ser morta.

Segundo informações da Polícia Civil, através da necrópsia ficou também constatado que houve traumatismo craniano no homem encontrado e fuligem nas vias respiratórias de ambos, comprovando que as vítimas foram queimadas ainda com vida”.

O documento da PM também informa que as vítimas tinham entre 35 e 40 anos e que ultimamente estavam morando ali sob a ponte que fica na BR-459, pertencente ao Bairro Belo Horizonte.

No relatório policial consta que a mulher foi encontrada sem roupas, com o corpo parcialmente queimado e com indícios de ter sido abusada sexualmente. Os corpos das vítimas foram sepultados como indigentes no Cemitério Municipal de Pouso Alegre, na quinta-feira 27/9. As vítimas não foram identificadas porque não portavam documentos.

Um suspeito foi preso

Um homem de 37 anos foi preso na quinta-feira 27/9 como sendo até o presente momento o único suspeito pelo duplo homicídio. A Polícia Civil fez comparações através de imagens de segurança geradas por um comércio que fica nas proximidades do local do crime em que o suspeito é visto entrando e saindo do local onde aconteceu os assassinatos. As imagens também registram o suspeito na terça-feira, comprando bebida alcoólicas na companhia da mulher que foi morta, horas depois.

O B.O. também relata que o suspeito reside na mesma rua e têm passagens na polícia de São Paulo e em Minas Gerais, causadas por ameaças de morte, violências físicas e assédios sexuais.

Diante desta suspeita a Justiça considerando os fatos decretou a prisão temporária por 30 dias do suspeito, para verificação. Ele se encontra preso no Presídio de Pouso Alegre. O crime aconteceu na quarta-feira 26/9

O delegado Rodrigo Bartolli investiga o caso a partir das imagens registradas pelo sistema de segurança de um comércio próximo ao local do crime que mostram o suspeito comprando bebidas alcoólicas justamente com a mulher que foi morta. As imagens não foram enviadas a imprensa para divulgação. As primeiras investigações dão conta que o suspeito veio do Paraná e era conhecido por alguns como violento e voltado para abusos sexuais.

Direto da Redação

Comentários

Publicidade