DONIZETTI ANDRADE – “Participei, como habitualmente faço, da sessão da Câmara dos Vereadores de Pouso Alegre. Plenário lotado. Alguns vereadores vaiados. E sem qualquer gesto de civilidade os inusitados ocupantes do plenário, ao arrepio do que dispõe o Regimento Interno, se levantaram e ficaram de costas para o vereador que usava a tribuna para manifestarem que não concordavam com o seu posicionamento. Democracia? – Não creio. O plenário de uma Casa das Leis é lugar por excelência em que devem se manifestar os cidadãos. Se manifestarem dentro dos ditames da lei. Inconcebível transformar um plenário da Câmara em palco de incivilidades. A força de uma reivindicação, a sua plausibilidade, supõe o respeito às leis e o tratamento mútuo urbanizado. Quem não respeita, não pode reivindicar respeito. Lamentável que uma sessão de uma Casa das Leis se torne palco de atos que espelham uma péssima educação.”

CIMED – “O conselheiro do Grupo CIMED, empresário João de Castro Marques, foi enfático ao revelar as razões que levaram o grupo a optar por outros municípios nos últimos anos, como São Sebastião da Bela Vista onde instalou a gráfica e um Centro de Distribuição. Segundo ele, o Grupo não encontrou o devido apoio na administração anterior, mas agora confia plenamente no atual governo municipal de Pouso Alegre e vai concentrar todos os investimentos no município.”

RAPHAEL PRADO – “Que pena que nossa administração não tem políticas públicas para nossos moradores de rua, precisamos unir a sociedade civil para tentar dar dignidade para essas pessoas, aliás a administração não fez nada em nenhum setor, tem professor sem pincel para dar aula, um desastre de administração e só está no começo…”

BILAC PINTO – “Foi com grande satisfação que recebi na tarde de GV em Brasília o Prefeito de Pouso Alegre Rafael Simões, que esteve na Câmara dos Deputados para lutar pela nossa querida Fundação de Ensino Superior do Vale do Sapucaí, mantenedora da Universidade do Vale do Sapucaí (Univás); do Hospital das Clínicas Samuel Libânio (HCSL); dos Colégios João Paulo II e Vale do Sapucaí (Anglo Pouso Alegre), instituição privada que vem sofrendo intervenções negativas por parte de membros do Partido dos Trabalhadores. Aproveitei a visita deste ilustre gestor mineiro para realizar um pronunciamento no plenário da Câmara dos Deputados, onde expus minha indignação quanto a intervenção do PT na gestão desta renomada instituição. Ao Presidente, Reitores, Vice-Reitores, professores, funcionários e alunos, afirmo que continuarei lutando ao lado do Prefeito Rafael Simões pela Saúde e Educação de nossa querida Pouso Alegre, e que não descansarei até revertermos na Justiça a decisão que afetou drasticamente o cotidiano dos estudantes da UNIVAS.”

RAFAEL ABOLAFIO – Sem apoio do poder, a imprensa não consegue sobreviver. Sem o apoio também do Poder Executivo e do poder Legislativo, de forma alguma”.

EX PRESIDENTE LULA – “Vou prestar quantos depoimentos necessários. Mas tenho que ser tratado como os outros, mas não estou sendo. Estou sendo tratado pior que os outros. Nem vou mostrar as costas para não verem as chibatadas que levei, é tanta pressão em cima que daqui a pouco eu vou achar que devo alguma coisa. Tá na hora de provas. De parar com falatório e mostrar provas. Não adianta falar em milhões, bilhões, isso ou aquilo, coisas que não procedem. Mostre um centavo de desvio meu, não dois, disse um centavo, e vou dizer que tem razão quem delatou”.

SÉRGIO MORO – “Não é um confronto, o processo não é uma guerra, uma batalha, uma arena. Em realidade, as partes do processo ali são acusação e defesas. Não o juízo. O juiz não é parte do processo”, disse Moro, negando haver um “embate” entre ele e o ex-presidente.

LULA LÁ – “O Palocci, se não fosse um ser-humano, ele seria um simulador. Ele é tão esperto que é capaz de simular uma mentira mais verdadeira que a verdade. Palocci é médico, é calculista, é frio […] nada do que ele falou é verdadeiro”.

ANTÔNIO BRETAS – ‘Enquanto o Palocci mantinha o silêncio, ele era inteligente e virtuoso. Depois que resolveu falar a verdade, passou a ser tido como calculista e dissimulado e frio Dissimulado é ele, que nega tudo o que lhe contraria e teve a pachorra de dizer que se encontrava raramente com o Palocci. Icrível é acreditar que somente ele (Lula) seja o único dono da verdade”.

LULA APÓS DEPOIMENTO COM O POVO – “Sou um cidadão comum, só tenho quatro anos de escolaridade e curso do Senac, mas tenho a sensibilidade de entender o coração e a alma do nosso povo. Desafio eles a ter coragem de ir para a rua como tenho e abraçar cada mulher, cada homem e cada criança. Tenho comigo uma coisa que devo a vocês: a verdade. Jamais mentiria para vocês. Jamais enganaria vocês. Prefiro a morte a mentir para o povo brasileiro… — Tenho consciência do porquê dos ataques, tenho consciência por conta das mentiras que são contadas, mas em vez de ficar nervoso, fico orgulhoso. Foram mais de dois anos gravando Marisa e eu, a Dilma e eu, meus filhos e eu, invadindo a nossa casa até agora, ainda não encontraram uma verdade…— Quero dizer que conheço o peso da mentira. A desgraça de quem conta a mentira, é ter que ficar o resto da vida mentindo para justificar a primeira mentida”.

DIALOGO – “Não posso deixar de dizer que esses processos contra mim virassem vocês reféns da imprensa”, disparou Lula em suas considerações finais ao Juiz Sérgio Moro.
– “Vou chegar em casa amanhã almoçar com 8 netos e uma bisneta de 6 meses. Posso olhar na cara dos meus filhos e dizer que vim a Curitiba prestar depoimento a um juiz imparcial?”, diz Lula.
Moro responde irritado: – “Não cabe ao senhor perguntar isso a mim. Mas de todo modo sim”, disse.
– “Não foi o procedimento na outra ação”, rebateu Lula.
– “Eu não vou discutir a outra ação com o senhor. A minha convicção é que o senhor foi culpado. Se fossemos discutir aqui, não seria bom para o senhor”, disse Moro.
Lula então, diz que tem que discutir sim. – “Vou esperar que a justiça continue a fazer justiça nesse país”.
Moro interrompe, e encerra a gravação irritado.

Comentários

Publicidade