O papa Francisco, em um gesto dramático que ocorre na esteira de um retiro inédito no Vaticano, se ajoelhou para beijar os pés dos antes antagônicos líderes do Sudão do Sul nesta quinta-feira, 12/4 e os exortou a não voltarem à guerra civil.

“Imploro que o fogo da guerra se apague uma vez por todas, que possam voltar para as vossas casas e viver em serenidade. Suplico ao Deus Todo-Poderoso, que a paz chegue à vossa terra, e dirijo-me também aos homens de boa vontade a fim de que a paz chegue ao vosso povo”

Concluiu-se hoje, no Vaticano, um retiro de dois dias que reuniu as máximas autoridades civis e eclesiásticas do Sudão do Sul.

Franciscou pediu ao presidente Salva Kiir, seu ex-vice que virou líder rebelde Riek Machar e três outros vice-presidentes que respeitem o cessar-fogo que assinaram e se comprometam a formar um governo de união no próximo mês.

— Eu peço a vocês, como irmão, que fiquem em paz. Estou pedindo com meu coração, vamos em frente. Haverá muitos problemas, mas eles não vai nos superar. Resolvam seus problemas com a paz — destacou o Papa, em declarações de improviso durante a reunião.

Os líderes pareceram surpresos quando o argentino de 82 anos, ajudado por seus assessores, ajoelhou-se diante de cada um deles e beijou seus sapatos (pés). Francisco confirmou o desejo de visitar o Sudão do Sul.

— Penso incessantemente nessas almas sofredoras e imploro que o fogo da guerra se apague uma vez por todas — disse o Papa.

As palavras do Papa ganharam força no momento em que a ansiedade cresce no Sudão do Sul por conta do golpe de Estado no vizinho Sudão. O temor é de que a transição de poder logo ao lado coloque em xeque o frágil acordo de paz que pôs fim a uma sangrenta guerra civil entre os territórios.

O Vaticano teve esse objetivo ao reunir líderes do Sudão do Sul para 24 horas de orações na residência do Papa, em uma tentativa de amenizar as divergências locais um mês antes de a data marcada para o país abalado pelo histórico de guerra estabelecer um governo.

Vídeo Reeditado pela TVJC – Fonte/ foto e imagens Vatican News via Internet

Comentários

Publicidade