A Polícia Militar sediada em Pouso Alegre proibiu a liberação do Estádio Manduzão para a estreia do Pouso Alegre Futebol Clube no próximo sábado conforme estava previsto. A diretoria do PAFC lamenta decisão e diz que demais laudos estavam liberados e que havia a expectativa positiva com relação ao laudo da PM. “Mas infelizmente a decisão não foi a que todos nós desejaríamos”, diz nota divulgada pelo PAFC.

A TVJC esteve no estádio e conversou com exclusividade com o presidente do PAFC, Paulo da Pinta que falou sobre a frustração para o torcedor e para a diretoria do Pouso Alegre. A estreia na segunda divisão será com os portões fechado. A Federação Mineira de Futebol manteve a partida para às 15:00hs deste sábado 04/8, mas será sem a presença da torcida porque o laudo da Polícia Militar reprovou jogos oficiais no Manduzão. O comunicado saiu no fim da tarde de quarta-feira 01/8.

Depois de quase uma década longe dos gramados e diante de um projeto ambicioso de levar a equipe à elite do futebol mineiro, o torcedor do Pousão se programava para ver o primeiro jogo desse retorno. A retomada do PAFC teve início há dois anos, quando um grupo formado por ex-jogadores e ex-sócios ganhou na justiça o direito de fazer nova eleição para administrar o clube.

Paulo da Pinta foi eleito presidente e montou o time que vai disputar a segunda divisão, com o objetivo de subir para o Módulo II e já, em 2020, chegar à elite. Para isso, o presidente sempre destacou a importância do torcedor estar presente. Mas não será nesse primeiro jogo em casa tão esperado pelos torcedores que durante anos, torceram para ver na competição o Rubro Negro do Mandú, como acontece com Poços de Caldas, Varginha e Três Corações.

Veja a nota oficial divulgada pelo Pouso Alegre com a informação dos portões fechado.

NOTA OFICIAL

A Polícia Militar, no seu laudo de avaliação, reprovou jogos oficiais no Estádio Irmão Gino Maria Rossi (Manduzão), na tarde de hoje (01/08/2018).

Diante desta reprovação, a Federação Mineira de Futebol, seguindo suas normas e regulamentos, determinou que a partida entre o Pouso Alegre e o Athletic de São João Del Rey seja realizada de portões fechados.

Sabendo antecipadamente dos problemas do estádio, relatados pela própria Polícia Militar em vistoria anterior, a Diretoria do PAFC mobilizou equipes de profissionais de várias áreas (pedreiros, serralheiros, pintores, pessoal de limpeza, etc.) para atender todas as exigências da PM. Na visão da Diretoria houve um avanço extraordinário nas condições de segurança e conforto, mas mesmo assim a PM manteve a decisão de vetar o estádio.

A Diretoria do PAFC tinha a expectativa de que, mesmo não sendo totalmente aprovado, a decisão de maior sabedoria seria uma liberação com restrição, dando ao clube algum tempo para que a extensa lista de exigências da Polícia Militar tivesse algum prazo para execução.

A Diretoria do PAFC lamenta profundamente o sonho frustrado do torcedor de voltar a ver o PAFC nos gramados, mas assegura que todo o esforço foi feito no sentido de realizar o máximo de providências para melhorar as condições gerais do estádio.

Depois de obter laudos aprovados de Engenharia, Corpo de Bombeiros e Vigilância Sanitária, havia, é claro, uma expectativa positiva com relação ao laudo da PM, mas infelizmente a decisão não foi a que todos nós desejaríamos.

Não vamos esmorecer. Vamos multiplicar nossos esforços no sentido de buscar a melhor alternativa de solução para o Manduzão. As equipes continuarão mobilizadas e a luta que nos motivou a retomar o PAFC e recolocá-lo onde nunca deveria ter saído contínua a mesma.

Nosso objetivo será sempre buscar o melhor para o clube e para os torcedores.

POUSO ALEGRE FUTEBOL CLUBE

 

Reportagem: Neilo Machado / Produção e Imagens: Anderson Campos

Comentários

Publicidade