O presidente Michel Temer foi levado nesta quarta-feira (25) para um hospital em Brasília, segundo informações da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da Republica, Temer sofreu uma “obstrução urológica”.

De acordo ainda com a nota da Presidência, Temer sentiu um “desconforto” no fim da manhã e inicialmente foi atendido no departamento médico do Palácio do Planalto. Depois, seguiu para o Hospital Militar de Área de Brasília, a fim de se submeter a exames. “O médico que o atendeu constatou uma obstrução urológica e recomendou que fosse avaliado no Hospital do Exército, diz a nota.

Antes da divulgação, o secretário de Comunicação Social da Presidência da República, havia informado que, por volta das 13:00hs, Temer “saiu caminhando” do Palácio do Planalto para ser levado ao hospital. Temer chegou em carro oficial, acompanhado da ambulância da Presidência, e entrou no hospital andando, pela entrada de autoridades, utilizada normalmente por generais do Exército e outros oficiais de alta patente. O médico do presidente, Roberto Kalil Filho, assim que soube do acontecido, entrou em contato com a equipe do Hospital do Exército para avaliar se haveria necessidade de Temer ser transferido para São Paulo. Outra possibilidade seria Kalil se deslocar para Brasília. A família do presidente foi informada da situação.

De acordo com fontes no governo, o presidente vinha sentindo dores nos últimos dias, que ficaram mais intensas durante a manhã desta quarta. Pouco depois das 15:00hs, chegou ao hospital para visitar o presidente o senador Raimundo Lira (PB), líder do PMDB no Senado. “Acredito que não é preocupante. Só pode ser excesso de preocupação, de carga de trabalho”, disse.

 

Comentários

Publicidade