Programa “Palavra de Fé” Nº 38 – Sexta temporada – com Dom Sebastião Arcebispo da Fraternidade Católica dos Filhos de Assis
Galeria Artigas mostra exposição fotográfica sobre os pastorinhos de Fátima
20 Escolas do Sul de Minas agitaram a gincana FAI
Tradicional Corrida do Aniversário da Cidade será no dia 20 de outubro
Delanne Lavarini na TVJC – 03 – “Delanne Recebe” os pastores Cristiano Lima e Daniel Lopes
Professores da Univás ministram palestras para 120 soldados do 14º GAC
Todos os dias, seis mulheres são diagnosticadas com câncer de mama em Minas
Prefeitura comunica sobre interdição de via pública
Pouso Alegre F. C. a 90 minutos do sonhado acesso
Acordo judicial reconhece alteração no estatuto da FUVS
Ouvidoria itinerante leva atendimento à população no dia 09 de outubro
Polícia busca por suspeitos de explosão de caixas eletrônicos em Nepomuceno
segunda-feira, 14 outubro, 2019
-18 °c

Preso há 4 dias por estupro, homem é solto após menina confessar ter mentido à polícia

O cozinheiro Francismar Videira, de 40 anos, preso há quatro dias, suspeito de estuprar uma menina de 12 anos, foi liberado pela Polícia Civil, após a adolescente confessar ter mentido em depoimento. A farsa foi descoberta após os pais da jovem desconfiarem da versão contada pela filha à policia. Em entrevista, o homem acusado inocentemente disse que vai processar o Estado por calúnia e difamação.

O caso teria acontecido no dia 11 de outubro.

De acordo com a delegada Juliana Tuma, da Delegacia Especializada em Proteção a Criança e ao Adolescente (Depca), a menina inventou o estupro para justificar aos pais o motivo de ter voltado tarde para casa. “Na verdade, ela estave com um namorado de 15 anos que havia conhecido na internet. Não tinha acontecido estupro nenhum, segundo ela”, explicou Tuma.

Francisco Videira contou que passou por momentos constrangedores ao ser preso injustamente. “Sou um homem trabalhador que desde os 12 anos trabalho para ajudar minha mãe e a minha família. Aí você acorda às 1h pensando que aquilo era um pesadelo, que acabaria na manhã seguinte, mas continuou”, lamentou.

Segundo o advogado do cozinheiro, André Duarte, o carro citado pela menina na acusação é bem diferente do carro pertencente ao cliente. Mesmo assim o automóvel de Videira foi depredado por populares no dia em que ele foi preso por populares e vizinhos. Imagens de um posto de gasolina nas proximidades onde o homem trabalha também foram levadas à delegacia para comprovar a inocência, mas não foi o suficiente para inocentar e liberar o falso acusado que permaneceu preso para verificações.

“Fomos para a delegacia levamos a verdade do que aconteceu naquele dia e as pessoas que estavam com ele. Isto foi ignorado e ninguém foi ouvido na polícia”, comentou Duarte. “Pelo contrário, foi insultado, caluniado e humilhado por todos”

À Rede Social, Francismar Videira disse que pretende denunciar o estado pelo erro cometido contra ele. “A minha cabeça ainda não voltou ao normal. Ainda vem muitas coisas que ouvi na delegacia e da família dela, mas eu os perdoo. Perdoo porque a verdade veio à tona e agora estou novamente com a minha família e feliz, que entendeu que fui vitima de uma acusação falsa”, afirmou.

Conforme a delegada Juliana Tuma, o caso foi levado para a Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai). “Não é porque esta menina não tem 18 anos que não será responsabilizada por este ato infracional análogo ao crime de denunciação caluniosa”, finalizou Tuma.

Entenda o caso

A menina tem apenas 12 anos, ela havia desaparecido, chegando em casa tarde, contou que foi rendida por um homem enquanto ia para escola na manhã de quarta-feira (11), no bairro Aleixo, na Zona Centro-Sul de Manaus. Disse que foi mantida por mais de seis horas trancada em um quarto de uma casa onde foi estuprada posteriormente, segundo ela.

Francismar Videira foi preso no dia seguinte, na quinta-feira (12), depois que a vítima ajudou a Polícia Militar a encontrar o local onde teria sido abusada sexualmente.

Segundo a polícia, a menina contou que caminhava em direção à escola municipal onde estuda e foi abordada pelo homem quando passava pelo beco Castro Alves, por volta das 7h. Ela disse ainda que o estuprador estava bebendo com outro homem e a arrastou, pelos cabelos, até uma casa, onde ficou trancada em um quarto do imóvel. Que chegando em sua casa contou o ocorrido para os pais, que acionaram a polícia. Ela indicou aos policiais a casa de Francismar como local do suposto crime. Por volta das 1h30, Videira foi detido e levado para a cadeia algemado.

A menina contou ainda segundo informação da polícia que naquele dia por volta das 13h, esse homem teria retornado e a violentado sexualmente, enquanto um segundo homem vigiava entorno da casa. Depois do crime, de acordo com a versão da adolescente, o homem colocou a menina em um carro e a deixou perto da casa onde ela mora.

Nossa Opinião

Certamente sabemos que a menina errou e errou bastante, mostrando uma mente fria, calculista e criativa. Talvez vista em programas policias ou essas novelas que os pais permitem que os filhos assistem mesmo com informação quanta a idade recomendada. Mas a principal culpa de ter esse homem passado pelo que passou é a incompetente Polícia de Manaus/Amazonas em acreditar em uma versão fantasiosa como essa. Imaginem um estuprador raptar uma menina e deixá-la por seis horas trancada num quarto para depois vir estuprá-la. Ou o cara estupra enquanto está possuído pela libido, ou não estupra. Esse fato é plenamente explicado por Freud. Com certeza o namoradinho de 15 anos, deve ter colaborado explicando a ela, como deveria se comportar, caso os pais viessem a desconfiar de alguma coisa. Mas no Brasil menor é protegido por Lei, e estão isentos de qualquer punição grave. Quanto ao cozinheiro Francismar Videira, viveu um pesadelo que jamais será esquecido.

DEIXE SEU COMENTÁRIO - Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

TV Jornal da Cidade

Loading...