Defensor de sua tese de doutorado na área de Administração na Universidad de La Empresa, de Montevidéu, Uruguai, o diretor financeiro e professor da FAI, Centro de Ensino Superior em Gestão, Tecnologia e Educação, professor Aldo Ambrósio Morelli, alia suas atividades acadêmicas com a política de Santa Rita do Sapucaí/MG, onde como atua como vereador em seu segundo mandato. Foi presidente da Câmara Municipal e a de representante do CRA-MG na seccional do Conselho Regional de Administração, em Pouso Alegre.

Natural de São Paulo, Aldo Morelli veio para o Sul de Minas junto com a empresa Sigra que se instalou em Pouso Alegre no final da década de 1970, onde trabalhou durante anos. Em 1986, concluiu o curso de Administração na FAI e no ano seguinte foi contratado como professor. E a partir daí fortaleceu seus laços profissionais com a Instituição onde continua até hoje prestando relevantes serviços na área educacional.

– “Na administração pública os processos são complexos e burocráticos o que ocasiona uma lentidão nas ações e nos prazos. Mas a burocracia é importante, pois disciplina, de maneira mais adequada, a utilização do dinheiro público. Na administração privada os processos acontecem mais rapidamente com menos burocracia e de forma mais estratégica. Quanto à administração nas instituições de ensino, os processos são ágeis como nas empresas, mas o olhar é mais humanizado, pois o ser humano é colocado no contexto das decisões de forma relevante. O principal desafio na gestão pública é a falta de planejamento a médio e a longo prazos, o que acaba atrapalhando o processo administrativo. Se tivéssemos uma visão que não fosse imediatista ou, no mais tardar, voltada para o mandato, acredito que teríamos um Brasil melhor em termos de administração pública.

A cidade deve ter um projeto que atenda às necessidades de seus cidadãos. A verba deve ser solicitada às esferas estadual e federal, basta colocar os projetos nos lugares certos. A questão partidária conta, mas é preciso encontrar um caminho para conseguir uma união, apesar da acirrada disputa durante o pleito eleitoral. Deve haver uma conversa entre as esferas, mesmo que o caminho seja difícil. Acho que falta um pouco de vontade…

Acredito que se tivéssemos no país leis mais severas para os desvios de dinheiro público e um judiciário mais rápido no julgamento e nas sentenças, a população e o país ganhariam muito. Hoje, as leis são brandas e o judiciário permite inúmeros recursos. Isso faz com que as pessoas fiquem menos temerosas em relação à punição para os crimes.

É difícil falar da minha vida profissional ou da minha pessoal sem que eu fale da FAI. A FAI está muito presente na minha vida. Meu casamento foi no dia 21 de fevereiro de 1987, no mesmo dia em que me formei em Administração na FAI. Minha esposa, minha filha, meu filho e minha nora estudaram aqui também. Meu filho fez pós também. Eu trabalho todo dia na FAI dando o meu melhor e mesmo eu dando o meu melhor, eu me cobro, pois acho que teria que fazer mais. A FAI é inspiração na minha vida.”

 

Como vereador foi co-autor do projeto de Lei que instituiu o Prêmio Municipal de Inovação. O Prêmio (em dinheiro) contempla os melhores projetos desenvolvidos por alunos das três feiras acadêmicas: a Faitec- Feira de Tecnologia da FAI e as feiras do Inatel e da ETE. Professor Aldo Ambrósio Morelli é destaque por sua competência e excelência profissional.

Comentários

Publicidade