O Reverendo Bernardino Ovelar no último programa “Palavra de Fé” desta quinta temporada nos brinda esta semana com os fundamentos da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil afirmando que a Igreja é sustentada pela Trindade Santa, e que ainda vive, e que temos de ser movidos pelo Santo Espírito aprendendo a caminhar unicamente neste caminho, estaremos determinados a continuar na Fé Católica, na Ordem Apostólica, na Adoração Ortodoxa e no Testemunho Evangélico da tradicional Igreja Anglicana, fazendo todas as coisas necessárias para a continuação da mesma em todas as partes do mundo. “Nós estamos decididos e esforçando-nos nesta decisão pelo conhecimento de que muitas províncias e dioceses da Comunhão Anglicana têm continuado leais na mesma Fé, Ordem, Adoração e Testemunho, e que elas continuam a conferir ordenação ao sacerdócio e ao episcopado”. Se regozija por estes fatos e afirma a solidariedade da mesma a estas províncias e dioceses.

Na firme convicção de que “nós podemos ser salvos pela graça do Senhor Jesus Cristo”, e que “não há outro nome abaixo dos céus dado entre os homens pelo qual nós podemos ser salvos”, e reconhece como reverendo a obrigação de proclamar a Verdade salvadora de Cristo para todas as pessoas, nações e em todas as línguas, declarando a intenção de a sustentar Una, Santa, Católica e Apostólica Fé em Deus.

A Igreja Anglicana reúne as pessoas chamadas por Deus para serem dedicadas e obedientes a Ele. Como o Povo de Deus do Sacerdócio Real, a Igreja é chamada para ser, de fato, a manifestação de Cristo no e para o mundo. A verdadeira religião é revelada ao homem por Deus. Ao homem não cabe decidir sobre o que é a verdade, mas particularmente (em obediência) devem receber, aceitar, amar, defender e ensinar aquilo que Deus tem dado por misericórdia. A Igreja foi criada por Deus, e é, além do mais, a razão fundamental do controle do homem. A Igreja é o Corpo de Cristo operando no mundo. Ela é a sociedade dos batizados convocados do mundo; Nele, mas não dele. Como a Noiva Fiel de Cristo, ela é diferente do mundo e não deve ser influenciada por ele.

Os Sacramentos do Batismo, Confirmação, Santa Eucaristia, Santo Matrimônio, Ordens Sagradas, Penitência e Unção dos Enfermos, como sinais efetivos e objetivos da contínua presença e atividade salvadora de Cristo Nosso Senhor no meio de Seu Povo e como Seu modo prometido para distribuir Sua graça. Em particular, afirmam a necessidade do Batismo e da Santa Eucaristia (onde estes possam ser realizados) – o Batismo como a incorporação ao Corpo de Cristo (com sua complementação com a Confirmação como um “selo do Espírito Santo”), e a Eucaristia como o sacrifício que une todos ao completo Sacrifício de Cristo na Cruz e o Sacramento no qual Ele alimenta seu povo com Seu Corpo e Sangue

As Ordens Sagradas de bispos, sacerdotes e diáconos como a perpetuação dos dons de Cristo do ministério apostólico para Sua Igreja, afirmando a necessidade de um bispo de sucessão apostólica (ou um sacerdote ordenado por este) como o celebrante da Eucaristia – estas Ordens constituídas exclusivamente de homens de acordo com a vontade de Cristo e instituição (como evidenciado pelas Escrituras), e a prática universal da Igreja Católica.

Os Bispos enquanto Apóstolos, Profetas, Evangelistas, Pastores e Mestres, tem como responsabilidades (juntos com os outros clérigos e o laicato) guardar e defender a pureza e a integridade da Fé e da Moral Ensinada pela Igreja. Ao afirmar estes princípios, é reconhecido que todo enunciado de fé Anglicano e todas as fórmulas litúrgicas devem ser interpretados de acordo com eles.

Cada ser humano, desde o momento de sua concepção, é uma criatura de Deus, feita à Sua imagem e semelhança, uma alma infinitamente preciosa; e que a injustificável ou inescusável ceifa da vida é sempre pecado. A obrigação sacramental do matrimônio entre um homem e uma mulher é uma provisão do amor de Deus para a procriação e vida familiar, e a atividade sexual deve ser praticada somente dentro dos laços do Santo Matrimônio. Deus ama Seus filhos e particularmente tem mostrado isto no trabalho redentor de Nosso Senhor Jesus Cristo, e que o homem não pode ser salvo por qualquer esforço próprio, mas pela Graça de Deus, através do arrependimento e aceitação das misericórdias de Deus.

A Igreja Anglicana é frequentemente reconhecida por ser uma Igreja apostólica mais próxima da Igreja Católica Romana. Isto é devido porque tem semelhanças entre elas na condução da palavra e liturgia. Certamente, a Igreja Anglicana usa uma liturgia e acredita nos Credos e tem bispo com sucessão histórica. No entanto, também tem muitas diferenças no culto, nas práticas, no governo e nas crenças, o que faz da Igreja uma Igreja Una e Santa.

Talvez a maior diferença é que os anglicanos afirmam que a Escritura e não a Igreja é a autoridade suprema na Igreja, enquanto Roma acredita no oposto. Roma acredita que o Papa é o cabeça de toda a Igreja, enquanto anglicanos não aderem a esse ensino. Também, existem outras questões teológicas a ter em conta, como a salvação pela graça mediante a fé; o sacerdócio universal do povo de Deus; o celibato optativo do clero; o governo sinodal da Igreja; os sacramentos, etc.

Para aqueles que gostariam de uma explicação mais profunda, recomendamos procurar uma Igreja Anglicana e conhecê-la mais profundamente.

NR – Agradecimentos especiais ao Reverendo Ismael Hultado, Reverendo Bernardino Ovelar e principalmente ao Bispo Dom Eduardo Grillo, que tornou esses programas possíveis, autorizando e abençoando seu povo através deste site de notícias, crendo na repercussão da TV jornal da cidade e seus seguidores, espalhados em Pouso Alegre, Sul de Minas e pelo resto do mundo onde a palavra possa ter chegado. A todos os nossos sinceros agradecimentos. As portas da TVJC continuam abertas, como sempre estiveram e a disposição dos anglicanos que, acreditaram na audiência e no sucesso das mensagens apresentadas. Deus vos guardem!

Direção e texto: Neilo Machado – Produção e Imagens: Anderson Campos
Gravado nos estúdios da TV jornal da cidade.

Comentários

Publicidade