Disse o homem considerado mais sábio da face da terra, o rei Salomão: “Quem anda com os sábios será sábio; quem anda com os tolos será tolo e sofre aflição”. Daí o ditado: “Diga-me com quem tu andas e eu direi quem tu és”.

 Dependendo com você se relaciona, você terá vitória ou derrota!

 Três tipos de pessoas que não deve se relacionar:

  1. Que fala demais-(Prolixista), a vida do falador é um cemitério.
  2. Mentirosa-(Mitomaníaca), quem mente rouba.
  3. Viciada-(Misoneísta), idólatra, cujo deus é o vício.

 Três tipos de pessoas para se relacionar:

  1. Otimista, realista, de alto astral e de autoestima. Focada nas coisas boas, belas e tem respeito pela dignidade humana.
  2. Verdadeira, sem hipocrisia, sem maldade. Sabe elogiar, sabe corrigir sem ser deselegante e sabe fazer amizade assertiva.
  3. Ama a arte. Tem paixão pela leitura, pela poesia, pelo teatro, pela cultura, música e faz parte da sua vida a espiritualidade.

 Doente infernizante

 Ninguém consegue a cura e a libertação do corpo e da mente se não for honesto consigo mesmo. Ser verdadeiro significa alcançar de fato e de verdade a saúde física, emocional e espiritual. Ninguém vence as dificuldades, a dor, as ingratidões e as incompatibilidades fingindo, camuflando, mentido e se escondendo de enfrentar a verdade. Superar o sofrimento, o medo, as dúvidas, os vícios e a oposição, só com a clareza objetiva da ortodoxia, ou seja, da reta intenção cristalina. Ser claro, transparente, autêntico e se fundamentar numa base sólida, eficaz, salutar e progressiva para todo bem-estar. Ser verdadeiro consigo mesmo é ter dignidade de nunca fazer parte do teatro das máscaras e da espetacularização hipócrita. Possuir autenticidade interior é ser livre das fantasias perniciosas, é não viver da falsa aparência e dos encantos frustrantes demolidores.

A desconstrução total no ser humano se encontra na mentira, na falsidade, na difamação e no falar mal dos outros. A perdição no ser humano está no consumo das coisas erradas. Nada é tão demolidor e destruidor na pessoa como absorver e praticar os amaldiçoados costumes da fofoca, os vícios de maldizer, difamar as pessoas e criar inimizades entre seus conhecidos. Essas são as pragas de vidas malditas. Tais pessoas são infelizes, solitárias, negativas, não tem amigos, não são prosperas no que fazem, não tem prazer na vida e são doentes do corpo, da mente e da alma. E o pior de tudo que esse tipo de pessoa não procura um tratamento e nem reconhece que é um grave doente e que vive satanizando a vida dos outros.

A mente nas prisões dos conflitos, o coração acorrentado pelo ódio, o corpo torturado pelas brigas e o inconsciente carregado com desejos reprimidos e traumas; a alma desse doente vive no abismo das trevas, tudo isso faz com que ele não obtenha a capacidade de procurar ajuda psicanalítica, psicológica e psiquiátrica. É um delito gravíssimo e arrasador quando esse doente mal educado e perturbador se esconde atrás da religião, de Bíblia, de terço, de passes, de simpatia, de falso tratamento, de sua classe social, do seu dinheiro e do cargo de comando que exerce. Quantos inocentes, pessoas boas e justas sofrem por causa dessa gente desequilibrada, malvada e maléfica.

É fatal quando esse doente chato e intolerante tem conexão com a religião, à pretensa vida esotérica, mística, carismática, celibatária, castidade e o evangelicalismo puritano. Se oculta com altos títulos acadêmicos e patentes militares. Tudo isso faz do quadro clínico que seja bastante complicado, no entanto, é dissimulado por um tempo, vindo a tona terríveis acidentes morais e criminais.

Não existe maior liberdade, felicidade do que a cura interior por meio da sinceridade, autoconhecimento e progressivo autoaperfeiçoamento. Isso é viver com qualidade de vida, saúde física, psíquica e espiritualidade. Claro que dentro dessa dimensão a imensuráveis virtudes e sentimentos de amor, carinho, afetividade, ternura, bondade, paz e alegria. O autoconhecimento é o bem-estar de tudo. Ter consciência da honestidade e o seu exercício é ter no seu interior o paraíso infinito que transfere para o seu semelhante. Grandiosas e infinitas bênçãos recebemos quando convivemos com pessoas iluminadas, divinas, positivas, amáveis, serenas e de alma nobre.

Disse o renomado neurologista vienense Dr. Sigmund Freud: “O caráter de um homem é formado pelas pessoas que escolheu para conviver”.

Dr. Inácio José do Vale
Psicanalista Clínico, PhD
Professor e Conferencista
Atende na Comunidade de Ação Pastoral – CAP
Bairro São Cristóvão – 
Pouso Alegre – MG
Membro da Sociedade Brasileira de Psicanálise Contemporânea e Membro da Ordem Nacional dos Psicanalistas/RJ – Apresentador do Programa Psicanálise Clínica pela TVJC

Direção: Neilo Machado – Produção e Imagens: Anderson Campos

Comentários

Publicidade